19 de mai de 2010

:: você ::


hoje tinha você para todo lado. dentro da cumbuca de cereal do meu rápido café da manhã. porque vc já tinha invadido o meu son(H)o e assim despertei atrasada. ao colocar minha lente de contato que salva minha miopia vi você na minha íris e uma lágrima brotou ali perto, mas não caiu. porque seria dor demais para sentir às pressas. ao me olhar no espelho para a maquiagem que acalma as fundas olheiras por passar horas em claro lembrando de nossos nós senti você chegando perto como antes  e quis sair correndo dali de tão real que parecia  sua presença sem presença. no meu caminho você era minha sombra - e nem tinha sol - porque olhava para baixo o tempo todo e o via andando comigo. a concentração ficou longe toda manhã e no meio de um trabalho sério meu coração disparou de ansiedade. porque precisava de forças para não sentir mais você. e sentia. passei a tarde fazendo uma lista de seus defeitos, mas nossas frases exclusivamente bobas invadiram meu pensamento. porque eu ainda dou risada sozinha de cada palavra. e isso é uma das coisas que me fazem sorrir como antes. à noite joguei a sorte para resolver o que fazer com toda essa sua presença. mas perdi. já que sentimentos não são controlados e lutam para ficar com vontade própria, quando o que mais desejamos é arrancá-lo à unha. enfim, por que você não foi embora quando disse tchau? me  pouparia tanto trabalho com a teimosia do meu coração!

Iê...

2 de mai de 2010

:: distância dolorida ::





Não olhou a noite. O coração pesava e não conseguia se manter em pé. Doia. Latejava. E nem altas doses alcoolicas curariam a dor. Trancou-se...  em si, em casa. Anestesiada. Mas prometeu voltar  à vida.

Iê... 




google imagens