28 de dez de 2009

:: Tudo começa pelo FIM ::

FIM
De repente a gente cansa de esperar...
E não significa que o amor acabou
Mas cansa esperar que o amor
Acorde
Amadureça
Confie
Acredite
Valorize
E que não tenha medo de AMAR
(independente do que o impede de assumir tal sentimento)
MEIO
Pra VOCÊ!!!
O mês começou lindo e se fez feio ao mesmo tempo. Mas no mesmo corpo que pesava toneladas de exaustão o sorriso crescia meio a lágrimas que teimavam em querer sair. Porque só VOCÊ conseguiu me fazer sorrir quando eu queria gritar socorro, mostrar que amar ainda é possível mesmo depois de todas as esperanças terem ido embora, lembrar que um abraço cura dores que parecem intermináveis, uma simples presença com silêncio traz força, que é importante dizer “foda-se” o que os outros vão pensar, que uma pessoa pode tornar-se importante demais em pouquíssimo tempo.
Porque só VOCÊ enfeitiça com palavras escritas numa simples mensagem e consegue me fazer mudar de ideia em 10 minutos de conversa e aceitar ir contra todas as convenções impostas por uma sociedade que não acreditaria que um amor pode nascer assim como o nosso...
Porque só VOCÊ me faz dar gargalhadas descendo escadas rolantes em um lugar “não tão perfeito” e ainda achar isso muiiito divertido e faz sentir o coração apertado quando o domingo acaba.
Porque agora só VOCÊ é importante...

COMEÇO...
O começo se aproxima e assusta...
Todo começo é assim temeroso demais, sempre foi. Como se algo fosse pesado demais para carregar. Afinal, o início é sempre o fim de algo que fará falta, que sempre que surgirem percalços será lembrado com a famosa frase “era tudo tão perfeito”! Mas até as coisas perfeitas acabam e até as coisas perfeitas começam como algo totalmente desconhecido. E o desconhecido assusta quase sempre.
Mas ai, como sempre, finjo que não tem uma bola parada na minha garganta, que meu coração não está tentando abrir espaço no meu peito e cair fora, que não estou sentindo como se estivessse ocorrendo um terremoto no meu corpo... e enfrento a situação mesmo que ainda sinta algo revirando no meu estômago, coloco a famosa máscara com o sorriso mais belo e forte no rosto e sigo em frente com meu velho e super secreto mantra.
Afinal, começos são tão assustadores quanto os finais, mas tudo dá sempre certo! Então, seja bem vindo, início de tudo!!
P.S.: Como também termina 2009, o Vida Bailarina deseja um 2010 cheio de palavras brilhantes para todos nós, com muita paz, saúde, amor, sucesso e todo bla bla bla que achamos importante sempre. Felicidade Infinita!!!

Iê...

15 de dez de 2009

:: hoje ::

Hoje me peguei procurando um bloquinho para escrever algo que veio em mente com urgência e nem percebi que meu note estava na minha frente e podia digitar – perdi as frases em meio a pensamentos conturbados, mas as recuperei parcialmente para colocar aqui. Apesar de ser totalmente geração virtual, ainda me prendo a papéis. Vivo com meu bloquinho cheio de rabiscos, frases soltas, contas feitas sem calculadora, listas de mundanças a serem realizadas e que são adiadas e seguidas por outras com os mesmos itens e outros mais. Precisava escrever que ontem pensei em inaugurar um dia de grandes afazeres para mudar de vida, fugir do caos e tentar melhorar tudo e que nada mais teria tanta importância, principalmente depois de passar um mês tão difícil, tão angustiante e que trouxe um modo de viver diferente e que ainda está sendo reconhecido, desbravado. Estranho, mas no mês mais difícil da minha vida aconteceu algo muito bom também. Difícil lidar com estas coisas, não poder dar tanta importância a algo especial por ter outro algo consumindo todas as forças, preenchendo todo tempo livre e que não se pode simplesmente fugir para viver apenas o que brilha aos olhos.
É sobre tudo isso que iria postar algo aqui hoje, mas...
Acordei nesta manhã com um sonho bagunçado, com tantos amigos presentes não sabia se era uma reunião alegre ou triste, já que ultimamente esses sentimentos se misturam sem constrangimento algum, sem entender nada não dei importância e fui ao trabalho com uma lista de coisas muito importantes a fazer, preocupada com um atraso futil em compras de Natal e outras coisinhas... De repente, em meio a um sorriso após receber uma linda mensagem no celular, recebo uma notícia angustiante, uma super amiga está muito triste porque perdeu uma das pessoas mais importantes da vida dela há algumas horas. E eu e outras amigas estamos sentindo um pouco da dor dessa outra grande amiga, mas estamos fortes como amigas devem ser para estar sempre perto e ajudar no que for preciso.
Em momentos assim me pego apeeensiva e querendo novamente tirar todo sofrimento de pessoas que amo. Tem dias que os pensamentos aparecem como os de uma criança, cheio de “porquês”: por que precisam acontecer coisas tão difíeis de suportar; por que sempre tem alguém triste ou com problemas insuperáveis ao nosso redor? Existem acontecimentos que nos deixam impotentes e isso é inexplicavel mesmo. E, por mais que a gente tente e ache que entenda e aceite por ser vontade de Deus, é difícil sim... E reclamamos de tanta coisa idiota na vida! No último mês pensei muito nisso e percebi que reclamamos de tudo sem saber que nada é um problema grandioso de verdade, reclamar do arroz que queimou, do lixo que esqueceram de retirar do banheiro, do pneu furado, da chuva ter molhado seu tênis, do motorista de ônibus que parou longe do ponto, tudo isso é tão mesquinho perto de outros problemas reais, como quando nos deparamos com o risco de alguém perder a vida. Podíamos parar para pensar nisso e nunca mais reclamar de nada ou pelo menos reclamar o menos possível... o motorista parou longe do seu ponto, o que resta a fazer é andar mais um pouco, apenas isso. Perceber que essas mínimas coisas que reclamamos têm solução, problemas de verdade não têm!! O que é imprescindível é estar ao lado das pessoas importantes e nunca guardar rancores, porque em momentos assim lembro o quão damos importância também a coisas tão futeis e não superestimamos pessoas, o quanto adiamos um telefonema, um abraço, um sorriso, o quanto guardamos princípios idiotas e achamos que não podemos adiar a compra do carro do ano, de presentes, de brilhos para uma noite feliz, quando todas as noites e dias deveriam ser felizes ao lado de pessoas importantes. E que o mais importante de tudo isso é sim mostrar que estamos aqui para o que os amigos precisarem, sempre!!

Bem, surgi aqui depois de tanto tempo para escrever lindas palavras, mas saiu isso ai, apenas um texto indignado por estar triste por outro alguém estar despedaçado, então posso adiar mais uns dias o texto que iria postar. Bem, o Vida Bailarina não parou de vez como podia parecer aos poucos e queridos leitores e voltou antes mesmo do ano acabar...
Iê...

9 de nov de 2009

:: Felicidade Sorrateira ::

A felicidade veio assim de mansinho, sorrindo sorrateiramente. E eu nem tinha percebido que estava tão pertinho.
Ai, ai, ai... posso me viciar por isso! E não estou nem um pouco preocupada pela invasão dessa tal felicidade!!

Iê...

4 de nov de 2009

:: Mundo Utópico ::

A gente cai diversas vezes e levanta a cada uma delas, sempre acreditando que tudo passa, até chegar uma hora que percebe que otismo é utopia de anjos. Sim, o mundo é meticulosamente falso. E enxergar de verdade faz ficar difícil levantar.
Iê...

23 de out de 2009

:: Saudade ::

O peito rasga numa dor intensa misturada com infinita dificuldade de respirar, a pele arde em cada poro - saudade cortante! Queima. Desaba. Implode. Dilacera. Acredita que, mesmo assim, destruído, ainda tem muito amor ali por você?


Iê...

4 de out de 2009

:: Pra você eu digo sim (If I fell)!!! ::

Versão Rita Lee:



Versão Original - Beatles:

10 de set de 2009

:: Bailarina ::

Dia de foto - achei Magnífica:
"Bailarina tenta se acalmar antes de sua apresentação na semi-final da Competição Internacional de Balé Genee, em Cingapura"

foto: How Hwee Young/ EFE

Vi AQUI

Obs.: Amanhã tem História de Amor - Parte V!

30 de ago de 2009

:: História de Amor - Parte IV ::

google imagens
No momento em que se desligava do mundo e de sua dor delirante, dançando e bebendo muito, foi atraída por um olhar embasbacado, desses que parecem imã. Ela não entendeu o que sentia, mas viu-se diferente. Gostou do que observava e, momentos depois de uma conversa entre olhares, estavam perto. Surgiu um beijo instigador entre uma multidão que não parecia estar ali. Porém, um minuto depois, voltou ao mundo real e saiu dali imediatamente com seus amigos. Colocou a culpa pelo acontecimento na quantidade do que havia bebido, mas teve outros encontros instantâneos com o admirador, apenas beijos, cada vez mais ferventes, mas simplesmente beijos. Nem ao menos nestes momentos seu fantasma preferido – como já há algum tempo chamava o amor de sua vida - a largava. Nem por um instante. Era uma falta dominante que sentia, faltava-lhe ar e força para ir contra a dor vazia no coração. E ele, o real, parecia ter sentido que algo chegara muito perto do seu pacote de brinquedo velho abandonado e escreveu de saudade para ela. Que confusão criou naquele coração. Ela demorou dias para responder com coragem e não apenas se jogar nos braços daquela saudade que parecia ser só dela. “Saudade de que? Não se sente saudade do que não gosta, do que se joga fora...”, escreveu. E recebeu uma resposta mais perturbadora ainda. Não entendia. Como pode alguém sentir falta do que não quer perto, pensava sempre. Contudo, continuavam a se corresponder quase que semanalmente, por meses. Com o admirador, teve apenas mais um encontro, desses onde os beijos esquentam mais do que o esperado e o corpo pede a sequência. E seu corpo implorava o toque, mas ela fugiu dali, seu coração não permitiu tal despautério contra seus sentimentos intensos. Não, ela não se tornara uma puritana, mas ainda não conseguia nem sequer imaginar outras mãos em seu corpo, outros sentidos delirantes. Nos meses seguintes, continuou entre se divertir e chorar num canto isolado de todos, já que não permitia que ninguém soubesse que ainda sentia dor e falta. Teve novos admiradores, se deparou com inveja e traições de pessoas próximas – sua gigante ingenuidade ainda não havia partido totalmente -, e criou um novo modo de viver, até que, depois de várias conversas virtuais, marcou um encontro sério, num local não tão sério assim, com ele...

Iê...
P.S.: O Vida Bailarina ganhou um selo exclusivo pelo aniversário. O presente foi da Nade, do Orgulho de ser. Amei!! Linda surpresa! Obrigada mesmo!! (clicando na imagem dá para ver o efeito - piscando))

28 de ago de 2009

:: Niver do Vida Bailarina ::

Feliz Aniversário!!!!

Hoje o Vida Bailarina faz um ano de blogspot (e este mês fez 2 anos de existência também!). Obrigada pelas 10 mil e 400 (por ai) visitas - inclusive dos leitores "invisíveis" - e por todos os comentários.

Iê...

Obs.: No fim de semana a História de amor continua...

23 de ago de 2009

:: História de amor - Parte III ::

Resolvi dar continuidade a uma história que havia colocado aqui há quase um ano. Já tenho até a parte V escrita, mas nunca postei... Agora, que estamos na semana de aniversário do Vida Bailarina - dia 28 faz um ano de blogspot e 2 anos de existência de Vida Bailarina -, revi alguns posts antigos e resolvi continuar a história....
Para quem quiser relembrar ou ler pela primeira vez:
Parte III
Sim, ela mudou. Mas o que havia dentro dela, aquele sentimento fervente e brilhante, continuou ali, muitas vezes derramando lágrimas doloridas em seu rosto, lágrimas acompanhadas de soluços amargurados pela dor daquela falta que não estava preenchida com tudo o que ela inventara para tentar esquecer:
o silêncio oco em sua cabeça a fez reagir por uns instantes, lembrar que havia vida ao redor, apesar de parecer estar num mundo diferente, como quando se depara com a morte de alguém... Foi exatamente isso que ela escreveu uma vez para ele enquanto relatava a falta que ele fazia para ela – “Estranho, parece que você ainda faz parte de mim, às vezes parece que estou lidando com a morte de alguém. É este tipo de vazio que sinto...”.
Mas a lembrança de instantes atrás, do abraço fúnebre, dos lábios secos, da falta de sorriso naquele lindo rosto a fez reagir, fazer promessas a ela mesma que a partir do minuto seguinte esqueceria tudo e que construiria uma nova história – como se fosse possível. Pegou o telefone e ligou para um amigo. É, amigo, dessas suas verdadeiras amizades com meninos. Disse, pela primeira vez em sua vida, que precisava de ajuda, precisava conseguir voltar a ser ela mesma – já que a dor a consumira demais – não havia mais sorrisos, não havia mais brilho nos olhos, não havia mais alegria – havia apenas a cor fúnebre de um rosto que só conhecia lágrimas e de um corpo que apenas obedecia uma mente acostumada aos afazeres rotineiros de uma vida. Ficou ali parada por duas intensas horas. Muitas pessoas a olhavam, já que caia lágrimas em seu rosto por detrás daquele óculos escuro – mas as pessoas não sabiam que ali nascia uma outra menina, uma mulher de verdade talvez, dessas que não precisam de ajuda, dessas que não esperam que alguém a faça feliz – mesmo sabendo que às vezes isso seria impossível. Neste tempo em que esperava o amigo, fez planos de vida - prometeu que nunca mais imploraria o amor dele ou pediria para voltar-, fez promessas de amor a ela mesma. E apenas ela a amou de verdade - era isso que ela achou por muito tempo.
Quando viu o amigo próximo dela, com a cara de quem estava indo salvar uma enforcada, suspirou fundo e ensaiou um de seus melhores sorrisos. Sim, foi apenas um ensaio. Porque nesse tempo todo, o que parecia um ano para ela, não havia desabafado com ninguém, se isolou sentimentalmente do mundo real, e o que mais quis desde sempre foi um colo para deitar e esvaziar-se daquela dor esmagadora e ensurdecedora que havia dentro dela. Chorou, chorou, até ficar seca como terra árida que não recebe chuva há meses. O amigo? Calou-se. Esperou. Abraçou. Passou a mão em seus longos cabelos. E fez companhia em todas as loucuras que ela fez para levantar-se novamente.
Por um mês, ela voltou a brilhar, brilhava tanto que chamava atenção em todos os cantos que frequentava. Parecia feliz, mas não estava. Ele ainda fazia falta. Frequentou festas, baladas, fez viagens e aventuras maravilhosas, mas tinha instantes em que se isolava, chorava e “falava” com seu amor em pensamento, como que para entender o que havia acontecido com sua vida, com seu eu de verdade, como que pedindo socorro. Fez amizades novas, algumas boas, outras nem tanto. Era sempre acompanhada por seu amigo e por uma velha grande amiga. Usou um tipo de droga – isso não combinava com ela - e foi ai que levou o estonteante chacoalhão de seu amigo, a única vez em que ele não passou apenas a mão em sua cabeça e sim gritou, gritou, gritou muito, verdades nuas e cruas, para mostrar que o caminho não era esse. E ela voltou ao normal – só por um instante fez algo errado, no mais, ela só estava tentando entrar na vida normal e mostrar que se amava e que só queria voltar a ‘ser de verdade’. Fez planos, reergueu alguns que já existiam e realizou um por um, sempre sentindo falta de seu amor em cada realização – não o esquecia nem por um instante, apesar de... -, mas respirava fundo e agia rápido, para viver. Foi procurada por muitos rapazes, o que a fez sentir-se lisonjeada e com mais vontade de cuidar dela – sim, ela estava mais bonita que antes, cuidava de cada detalhe como nunca havia feito antes. Sentia-se bela. Linda - era como todos a viam. Mas ela não retribuía ou aceitava qualquer um desses elogios – era como se ainda fosse fiel a alguém que nunca foi fiel a ela. Sentia falta de contato intimo, porém, em seus pensamentos, havia o medo de um beijo novo, de um novo toque, não sabia como reagiria a isso e foi levando assim, agradecia com sorrisos ofuscantes que os atraiam cada vez mais, mas dançava, dançava como que para se livrar de pensamentos venenosos ao seu coração. Sim, seu melhor remédio era dançar, dançar, dançar, até que...
Iê...

19 de ago de 2009

:: Dia Mundial da Fotografia ::

Para comemorar o Dia Mundial da Fotografia, nada melhor que postar imagens:

fotos Iêda Santos/ local: Costa do Sauípe

Dia Mundial da Fotografia

Por volta de 1554, Leonardo Da Vinci descobriu o princípio da câmera escura. Segundo este princípio, a luz refletida por um objeto projeta fielmente sua imagem no interior de uma câmera escura, que contenha um orifício para a entrada dos raios luminosos.
Fazendo uso deste princípio, muitos artistas simplificavam o trabalho de copiar objetos e cenas, utilizando câmeras dos mais diversos formatos e tamanhos. Ficavam dentro da própria câmera e pintavam a imagem refletida em uma tela ou pergaminho preso na parede oposta ao orifício da caixa. Para ler o restante da matéria...
clique aqui!

18 de ago de 2009

:: Saudade ::

google imagens

"Como assim, Saudade?
Você não pode estar falando sério!
Voltou? Por quê?"
(A saudade faz qualquer força virar nada.... )
"Não, não aceito você aqui, senhora Saudade.
Não está vendo que só atrapalha?"
"Bora... Cai fora!"
(Saudade faz um segundo durar um milhão de milésimos!
Um dia... dura um ano.)

Iê...

16 de ago de 2009

:: Boa Semana ::


Música Lion King - In the Jungle


P.S.: Comecei a semana sem inspiração alguma - daquele tipo de falta de criatividade que nos leva a fazer cara feia até para o que já está pronto/escrito -, então resolvi deixar um videozinho divertido para alegrar a semana de todos. Divirtam-se. beijos. Iê...

13 de ago de 2009

:: Vício ou Feitiço ::

google imagens

A emoção explode feito fogos de artífício colorido e transborda nos olhos com certo frio na barriga. Ás vezes, o amor - vício ou feitiço cambaleante - parece ser infinito...


Iê...

12 de ago de 2009

:: E ai, Sebastião? ::

google imagem

"O mundo é bão, Sebastião"?
Nem sempre.
Às vezes, injusto.
O mundo é porcalhão, Sebastião!

Iê...

8 de ago de 2009

:: Quando Clarice fala por mim... ::

"...Mas não sou completa, não. Completa lembra realizada. Realizada é acabada. Acabada é o que não se renova a cada instante da vida e do mundo. Eu vivo me completando... mas falta um bocado." Clarice Lispector
"É tão difícil falar e dizer coisas que não podem ser ditas. É tão silencioso. Como traduzir o silêncio do encontro real entre nós dois? Dificílimo contar. Olhei pra você fixamente por instantes. Tais momentos são meu segredo. Houve o que se chama de comunhão perfeita. Eu chamo isto de estado agudo de felicidade." Clarice Lispector

google imagens

7 de ago de 2009

:: a partir de hoje... ::

Agora é lei! É proibido fumar em ambientes fechados de uso coletivo em todo Estado de São Paulo. Viva, nunca mais voltaremos fedidos das baladas!!!

5 de ago de 2009

:: Saudade ::

É absurdo o vício que tenho de você. D.R.O.G.A.
Chego a ter medo do meu futuro. A.M.AN.H.Ã.?.
Sim, Eu Amo Você. P.O.R.R.A.

Frase pichada em vários locais na cidade de São Paulo por autor desconhecido (foto: google imagens)

Iê...

obs.: Amigos, o Andanças de um All Star Vermelho está atualizado... Que tal uma passadinha lá?

1 de ago de 2009

:: Diferenças em si ::

Às vezes a gente se olha no espelho e vê uma outra pessoa. É estranho, mas interessante quando nos olhando é que percebemos que estamos em transformação, que desejos antigos ficam para trás, que algumas coisas perdem o sentido, mesmo parecendo ainda de grande importância. Às vezes nos olhamos por fora e como num estalar de dedos enxergamos de verdade o que somos "no agora" por dentro e não reconhecemos nosso eu antigo. É significante se olhar de verdade, se olhar como se estivesse fora das situações - como se tivesse acabado de ir ao oculista e descobrir que enxergava embaçado por um altíssimo grau de miopia. É enigmático mudar, dá um medo tremendo, mas é como saltar de asadelta pela primeira vez - olhos fechados e apertados, força nos punhos e músculos rígidos como se protegesse do pior e depois, aos poucos, o vento no rosto te mostra como é delicioso voar ao invés do costumeiro andar, como é seguro e suntuoso abrir os olhos e enfrentar outra forma de vida ou a mesma vida com engrenagem diferente, com suspiros novos, sem a carga líquida incômoda nos olhos....

Iê...

"Somos todos retalhos de uma textura disforme e diversa que cada pedaço, a cada momento faz seu jogo. E existem diferenças entre nós e nós próprios como entre nós e os outros." ( Michel de Montaigne - Ensaios - Segundo Volume, I)

"Cada um de nós é vários, é muitos, é uma prolixidade de si mesmos. Por isso aquele que despreza o ambiente não é o mesmo que dele se alegra ou padece. Na vasta colônia do nosso ser há gente de muitas espécies, pensando e sentido diferentemente." (Fernando Pessoa - Livro do Desassossego - anotações de 30/12/1932)

21 de jul de 2009

:: Fui!:"Pra onde tenha sol!!!!" ::

google imagens

Queridos amigos, fui passear!
Voltamos em Agosto!
Se cuidem. beijos
Iê...

18 de jul de 2009

:: vai passar ::

google imagens

"Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está aí, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada 'impulso vital'. Pois esse impulso, ás vezes cruel, porque não permite que nenhuma dor insista por muito tempo, te empurrará quem sabe para o sol, para o mar, para uma nova estrada qualquer e, de repente, no meio de uma frase ou de um movimento te surpreenderás pensando algo assim como 'estou contente outra vez'"

12 de jul de 2009

:: metamorfoseando uma dor ::

Lágrimas caem apenas para
curar/lavar
o que machucou de verdade
(e faz um bem danado, pode crer!)
Iê...

9 de jul de 2009

:: sentidos ::

google imagens

Te ver/ter/ouvir/sentir/tocar abstrai todos os meus sentidos. Sinto meu coração chegar à boca e saltar sem paraquedas, sem saber qual seu destino, a não ser pelas borboletas que habitam meu estômago no mesmo momento.

Iê...

8 de jul de 2009

:: ? ::

Tristeza vem também do que te faz feliz, do que te faz acordar todo dia com os olhos brilhando, do sorriso que faz seu coração disparar insistentemente, do abraço mais aconchegante existente na face da Terra, do carinho que te faz dormir em sonhos regados a estrelas borbulhantes, da interrogação do por quê ainda insiste em guardar um gostar que só esmaga o coração, do que faz lembrar que é necessário esquecer. Mas, para esquecer, é preciso lembrar; e é relembrado que um gostar infinito não morre.
Então, se a felicidade não vem assim de surpresa, o indicado é correr atrás dela!
Iê...

6 de jul de 2009

:: Amanhã, Apaixone-se ::

Porque o dia seguinte é o dia mais importante da sua vida.
É no dia seguinte que sabemos se o dia de ontem valeu a pena. É no dia seguinte que acordamos para a realidade ou dormimos no sonho. A vida da gente começa no dia seguinte e só existe uma maneira de viver: APAIXONADO.
Por isto, dance, dance como se ninguém estivesse vendo você
Trabalhe como se não precisasse de dinheiro
Corra como se não houvesse a chegada
Ame como se nunca tivesse sido magoado antes
Acredite como se não houvesse frustração
Grite como se ninguém estivesse ouvindo
Beije como se fosse eterno
Sorria como se não existissem lágrimas
Abrace como se fossem todos amigos
Durma como se não houvesse amanhã
Crie como se não existisse crítica
Vá como se não precisasse voltar
Acorde como se você nunca mais fosse dormir de novo
Faça a próxima viagem como se fosse a última
Vista-se como se não conhecesse espelhos
Proponha como se não existissem as recusas
Brinque como se não tivesse crescido
Levante como se não tivesse caído
Case como se não houvesse outra
Mergulhe como se não houvesse medo
Ouça como se não existisse o certo ou errado
Fale como se não existisse o certo ou errado
Aprecie como se fosse eterno
Viva como se não houvesse fim.
Prefira ser invés de ter
Sentir invés de fingir,
Andar invés de parar
Ver invés de esconder
Abrir invés de fechar.
Apaixonar-se é um exercício de jardinagem: arranque o que faz mal, prepare o terreno, semeie, seja paciente, espere, regue e cuide. Terá um jardim. Mas esteja preparado porque haverá pragas, secas ou excesso de chuvas. Se desistir, não terá um jardim. Terá um descampado.
A paixão não se vê, não se guarda, não se prende, não se controla, não se compra, não se vende, não se fabrica. A paixão é a diferença entre o sucesso e o fracasso. Entre a dúvida e a certeza. Entre aqueles que gostam do que fazem e aqueles que fazem o que gostam. Apaixonados não esperam, agem. A paixão é o que faz coisas iguais serem diferentes.
Lembre-se que a arca de noé foi construída por apaixonados que nada conheciam de navegação e de embarcação e o Titanic foi feito por engenheiros profissionais, fabulosos, que queriam mostrar seu poder.
Amanhã, quando acordar, pense se hoje valeu a pena e APAIXONE-SE. Porque em 24 horas você vai entrar no dia mais importante da sua vida: o dia seguinte.
(Imperador Bertrand Pelletier -?-)

3 de jul de 2009

:: lembrete ::

As máscaras sempre caem! E os falsos nunca lembram que isso é verdade absoluta.
Iê...

1 de jul de 2009

:: Retorno ::

Guardou os velhos sentimentos num baú antigo, a sete chaves, transbordante de lágrimas doloridas, mas lacrado com a vontade de voltar a viver plenamente, porque as borboletas no estômago que a construiram são as mesmas que a destroem, que fazem todo seu colorido virar cinza(s). E a única forma de voltar a ser a mesma de alguns anos é correr atrás da felicidade - já que ela não vem assim em silêncio e urgente como num passe de mágica. Assim, sem o antepassado peso nas costas e no coração, faz cinza virar vermelho ofuscante como a cor de suas unhas que vibram feito saltitar alegre. E, como corpo ressequido de dor após uma intervenção cirurgica, volta à vida - plena, apesar de....
Iê...
“Uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive, muitas vezes, é o próprio apesar de que nos empurra para a frente.”
(Clarice Lispector)

23 de jun de 2009

:: Pontuação ::

O que achava ser apenas uma virgula.
Ponto e virgula. Enfim, ponto final.
Iê...

18 de jun de 2009

:: Só é jornalista quem tem diploma! ::

Bem, parei um pouco minhas revisões e fechamentos para postar um texto que achei interessante, além de deixar claro que considero jornalista apenas quem tem diploma. Queria colocar minhas próprias opiniões aqui sobre a decisão do STJ, mas não tenho tempo de escrever AINDA!
E também, outro lado da moeda, falar que não se exige diploma (em qualquer profissão) num país onde ainda se luta contra o analfabetismo, é ridículo, ignorância; é como incentivar alguém a não estudar.
Iêda Santos, jornalista diplomada!

Diploma em jornalismo: uma exigência que interessa à sociedade

O principal argumento, entre os tantos que se pode levantar para a exigência do diploma de curso de graduação de nível superior para o exercício profissional do jornalismo, é o de que a sociedade precisa, tem direito à informação de qualidade, ética, democrática. Informação esta que depende, também, de uma prática profissional igualmente qualificada e baseada em preceitos éticos e democráticos. E uma das formas de se preparar, de se formar jornalistas capazes a desenvolver tal prática é através de um curso superior de graduação em jornalismo.
Por isso, de todos os argumentos contrários a esta exigência, o que culpa a regulamentação profissional e o diploma em jornalismo pela falta de liberdade de expressão na mídia talvez seja o mais ingênuo, o mais equivocado e, dependendo de quem o levante, talvez seja o mais distorcido, neste caso propositalmente.
Qualquer pessoa que conheça a profissão sabe que qualquer cidadão pode se expressar por qualquer mídia, a qualquer momento, desde que ouvido. Quem impede as fontes de se manifestar não é nem a exigência do diploma nem a regulamentação, porque é da essência do jornalismo ouvir infinitos setores sociais, de qualquer campo de conhecimento, pensamento e ação, mediante critérios como relevância social, interesse público e outros. Os limites são impostos, na maior parte das vezes, por quem restringe a expressão das fontes –seja pelo volume de informações disponível, seja por horário, tamanho, edição (afinal, não cabe tudo), ou por interesses ideológicos, mercadológicos e similares. O problema está, no caso, mais na própria lógica temporal do jornalismo e nos projetos político-editoriais.
Nunca é demais repetir, também, que qualquer pessoa pode expor seu conhecimento sobre a área em que é especializada. Por isso, existem tantos artigos, na mídia, assinados por médicos, advogados, engenheiros, sociólogos, historiadores. E há tanto debate sobre os problemas de tais áreas. Além disso, nos longínquos recantos do país existe a figura do provisionado, até que surjam escolas próximas. Deve-se destacar, no entanto, que o número de escolas cobre, hoje, quase todo o território nacional.
Diante disso, é de se perguntar como e por que confundir o cerceamento à liberdade de expressão e a censura com o direito de os jornalistas terem uma regulamentação profissional que exija o mínimo de qualificação? Por que favorecer o poder desmedido dos proprietários das empresas de comunicação, os maiores beneficiários da não-exigência do diploma, os quais, a partir dela, transformam-se em donos absolutos e algozes das consciências dos jornalistas e, por conseqüência, das consciências de todos os cidadãos?
A defesa da regulamentação profissional e do surgimento de escolas qualificadas remonta ao primeiro congresso dos jornalistas, em 1918, e teve três marcos iniciais no século 20: a primeira regulamentação, em 1938; a fundação da Faculdade Cásper Líbero, em 1947 (primeiro curso de jornalismo do Brasil); e o reconhecimento jurídico da necessidade de formação superior, em 1969, aperfeiçoado pela legislação de 79. Foi o século (especialmente na segunda metade) que também reconheceu no jornalismo –seja no Brasil, nos Estados Unidos, em países europeus e muitos outros- um ethos profissional. Ou seja, validou socialmente um modo de ser profissional, que tenta afastar a picaretagem e o amadorismo e vincular a atividade ao interesse público e plural, fazendo do jornalista uma pessoa que dedica sua vida a tal tarefa – e não como um bico.
Com tal perspectiva, evoluíram e se consolidaram princípios teóricos, técnicos, éticos e estéticos profissionais, disseminados por diferentes suportes tecnológicos, como televisão, rádio, jornal, revista, internet. E em diferenciadas funções, do pauteiro ao repórter, do editor ao planejador gráfico, do assessor de imprensa ao fotojornalista. Para isso, exige-se profissionais multimídia que se relacionem com outras áreas e com a realidade a partir da especificidade profissional; que façam coberturas da Ciência à Economia, da Política aos Esportes, da Cultura à Saúde, da Educação às questões agrárias com qualificação ética e estética, incluindo concepção teórica e instrumental técnico a partir de sua área. Tais tarefas incluem responsabilidade social, escolhas morais profissionais e domínio da linguagem especializada, da simples notícia à grande reportagem.
A informação jornalística é um elemento estratégico das sociedades contemporâneas. Por isso é que o Programa de Qualidade de Ensino da Federação Nacional dos Jornalistas - debatido, aperfeiçoado e apoiado pelas principais entidades da área acadêmica (como Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação; Abecom - Associação Brasileira de Escolas de Comunicação; Enecos-Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação; Compós - Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação; e Fórum de Professores de Jornalismo)– defende a formação tanto teórica e cultural quanto técnica e ética. Tal formação deve se expressar seja num programa de TV de grande audiência ou numa TV comunitária, num jornal diário de grande circulação ou num pequeno de bairro, num site na Internet ou num programa de rádio, na imagem fotojornalística ou no planejamento gráfico.
É por isso que, num Curso de Jornalismo, é possível tratar de aspectos essenciais às sociedades contemporâneas e com a complexidade tecnológica que os envolve, incluindo procedimentos éticos específicos adequados – do método lícito para obter informação à manipulação da imagem fotográfica, do sigilo da fonte ao conflito entre privacidade e interesse público, por exemplo. É na escola que há laboratórios de telejornalismo, radiojornalismo, fotojornalismo, planejamento gráfico, jornal, revista, webjornalismo e outros. A escola pode formar profissionais para atuar em jornalismo - e não para uma ou outra empresa. Pode formar profissionais capazes de atuar em quaisquer instituições, setores ou funções. É a formação que também permite o debate e novas experiências.
As escolas não são culpadas, certamente, pelo fato de algumas empresas reduzirem a atividade profissional a aspectos simples ou simplórios.
Por isso, mesmo onde a obrigatoriedade do diploma não existe, como em países europeus, cresce o número de escolas de jornalismo. É por isso que o Conselho Europeu de Deontologia (dever-ser) do Jornalismo, aprovado em 1993, estipulou, em seu artigo 31, que os jornalistas devem ter uma adequada formação profissional. E que surgem, a cada ano, em muitos países, documentos reforçando a necessidade de formação na área.
Além de tudo, há uma discussão bastante reducionista, uma espécie de a favor ou contra. Ora, diploma é uma palavra. Trata-se, no entanto, de palavra que exprime outras duas: formação profissional, atestada por um documento que deve valer seu nome. Há um lugar, chamado escola, que sistematiza conhecimentos e os vincula a outras áreas a partir da sua. A regulamentação e a formação são o resultado disso, que se manifesta em exigências como a do registro prévio para o exercício da profissão. Por isso, a regulamentação brasileira para o exercício do jornalismo é um avanço, não um retrocesso.
O pensar e o fazer jornalístico, resultados de um ethos profissional – essencial à identidade de categoria e de profissão e socialmente relevante- não pode voltar atrás. A Fenaj defende a formação profissional em cursos de jornalismo de graduação com quatro anos e, no mínimo, 2.700 horas-aula, como já apontavam as diretrizes curriculares aprovadas após inúmeros debates e congressos na área. A formação em Jornalismo, que deve ser constante e aprimorada durante toda a vida, é a base inicial para o exercício regulamentar da atividade. A tudo isso chamamos profissão Jornalismo. E não nos parece pouco.
(Beth Costa, Presidente da Federação Nacional dos Jornalistas)

16 de jun de 2009

:: Deadline ::

Estou a apenas 14 dias para minhas tão sonhadas férias. Então, por esse simples e complexo motivo, o Vida Bailarina só volta a ter postagens e visitar outros blogs no fim de semana, se conseguir terminar toda a pilha de provas e trabalhos que me persegue nestes dias...
Iê...

15 de jun de 2009

:: At home ::

Quando, ainda de olhos fechados, sinto minhas mãos entrelaçadas às suas, nossos pés enroscados e seu corpo me servindo de apoio... Viro-me e me vejo dentro dos seus olhos - é neste momento que me sinto em casa. Simplesmente.
Iê...
Obs.: Este post faz parte do Tertúlia Virtual de Junho, com o tema "Que lugar te faz sentir em casa"?

14 de jun de 2009

:: sem caminho de volta ::

Neste coração há uma estrada de um só sentido. Não tem como voltar atrás, nem de ré - há engarrafamento. Então, desculpe, não há como tirar-te de lá.
Iê...
obs.: escrito em 01/1999

11 de jun de 2009

:: Estupor ::

E nos momentos mais sublimes dos meus pensamentos, ainda lembro do primeiro sorriso que me conquistou, fazendo par com o olhar sedutor que me faz até hoje vítima hipnotizada.
Iê...

7 de jun de 2009

5 de jun de 2009

:: Dia Mundial do Meio Ambiente ::


Já pensou no mundo sem água potável? Sem florestas, pássaros, peixes, árvores, flores. Some a essas misérias ambientais o caos social correspondente. Para não vivermos o pesadelo que nos apontam os ambientalistas, precisamos mudar nossa maneira de pensar e nossos hábitos em relação ao mundo em que vivemos. (A.X.)


O aquecimento global não é um fenômeno natural, mas um problema criado pelos homens. Qualquer pequena tora de madeira, cada gota de óleo e gás que os seres humanos queimam são jogados na atmosfera e contribuem para as mudanças climáticas.Essa é a mensagem de Mundo, o primeiro vídeo da trilogia Pense de Novo.
Aproveite a data e plante nem que seja uma cebolinha, um caroço de feijão no algodão... nem que compre uma muda já plantada, mas cuide dela até o próximo 05 de junho e depois plante outra e outra....

Iê...

4 de jun de 2009

:: sem entender ::

- Porque, às vezes, só às vezes, tenho a sensação de que páginas foram arrancadas do livro da nossa história!
Iê...

3 de jun de 2009

:: Momento Neura / Mudança ::

foto "roubada" do blog Fabricante de sonhos

A dona do Vida Bailarina está em fase de decisão para revolucionar. Cansada da mesmice. Enjoada de sentimentalidades nas palavras, vai mudar o estilo do blog. Em breve, mesmo cheia de trabalho,Trabalhos e provas para corrigir e jornais para fechar, novo "projeto editorial" aqui.... E não se assustem se tudo for apagado de repente e começar do zero!!! É isso, até dia 15... surpresas surgirão (aos poucos!) neste cantinho (pelo menos pretendo!).

Iê...

Mude, mas comece devagar,
porque a direção é mais importante
que a velocidade.
Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa. Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua. Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente, observando com atenção os lugares por onde você passa.Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas. Dê os seus sapatos velhos. Procure andar descalço alguns dias.
Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia, ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda. Durma no outro lado da cama... Depois, procure dormir em outras camas.
Assista a outros programas de tv, compre outros jornais... leia outros livros.
Viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida. Ame a novidade.
Durma mais tarde. Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos, novas cores, novas delícias.
Tente o novo todo dia. O novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, o novo prazer, o novo amor. A nova vida. Tente.
Busque novos amigos.Tente novos amores. Faça novas relações.
Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida, compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado... outra marca de sabonete, outro creme dental...Tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores.Vá passear em outros lugares.
Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro, compre novos óculos, escreva outras poesias.
Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco.
Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros, visite novos museus.
Mude.
Lembre-se de que a Vida é uma só. E pense seriamente em arrumar um outro emprego, uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais prazeroso, mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as. Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino.
Experimente coisas novas.Troque novamente. Mude, de novo. Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. Só o que está morto não muda !
Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena!!!
(já vi este texto com diversas autorias: Clarice Lispector, Edson Marques... sei lá (vou pesquisar melhor para saber), mas adoro ler para me animar quando quero sair da rotina)

31 de mai de 2009

:: Sem Tabaco, please! ::

google imagens

31/05 - Dia Mundial sem Tabaco

-Oi. Quer um cigarro?
- Não. Não fumo. Obrigada.
- Não???? Como assim? Você deve ser a única jornalista que não fuma (e não toma café)
- É. Que problemão, hein!
- ...
(essa foi uma conversa que ouvi numa redação de jornal logo depois que me formei - há quase 10 anos)
E eu continuo querendo ser uma jornalista sem cigarro...

E só digo isso:


Se você ainda não tem certeza de que fumar faz mesmo mal à saúde, está na hora de parar de duvidar. Fumar um maço de cigarros por dia durante pelo menos 10 anos rouba, em média, 5 anos de vida do fumante. Em relação a pessoas que não fumam, os fumantes adoecem duas vezes mais, têm uma probabilidade 24 vezes maior de desenvolver câncer de pulmão e o dobro de chance de vir a ter doenças cardiovasculares.
O fumo é responsável por:

- 90% dos casos de câncer no pulmão (entre os 10% restantes, 1/3 é de fumantes passivos);
- 85% das mortes causadas por bronquite e enfisema;
- 45% das mortes causadas por doença coronariana na faixa etária abaixo dos 60 anos;
- 40% dos casos de bronquite crônica;
- 45% das mortes por infarto agudo do miocárdio na faixa etária abaixo de 65 anos;
- 30% das mortes decorrentes de outros tipos de câncer (de boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga e colo de útero);
- 25% das mortes causadas por doença coronariana: angina e infarto do miocárdio;
- 25% das doenças vasculares (entre elas, derrame cerebral).

E o tabagismo ainda pode causar:
- Aneurismas arteriais;
- Úlcera do aparelho digestivo;
- Infecções respiratórias;
- Trombose vascular;
- Amarelamento dos dentes;
- Envelhecimento da pele;
- Mau hálito;
- Diminuição da resistência física;
- Perda de fôlego;
- Queda nos desempenhos esportivo e sexual.

Para os homens, há ainda o aumento no risco de impotência sexual e, para as mulheres, no risco de infertilidade, câncer de colo de útero, menopausa precoce (em média 2 anos antes) e dismenorréia (sangramento irregular), além de todas as complicações durante a gravidez.

As informações são do Ministério da Saúde, do Instituto Nacional de Câncer e da Organização Mundial da Saúde.

Iê...

30 de mai de 2009

:: palavras enroscadas::

Pintura de Gustav Klimt/google imagens

Sempre deixei para depois algumas coisas entaladas na garganta. Devia ter conversado direito sobre o que sinto outras vezes contigo. Palavras que enroscam e me causam ânsia. Às vezes parece tarde demais, mas quando você surge com frases soltas que só causam confusão em mim, sinto vontade de expulsar algumas coisas que acho, que sinto, que sei, mas travo. Dá um medo gigantesco de revolucionar, de dizer-te palavras sangrentas - porque tudo que você faz me dilacera - mesmo sabendo que ainda há algo ai dentro que nem você mesmo compreende, que te dá medo de ousar, de perder o que há de mais bonito no que te entreguei por incontáveis vezes. Dizer que sua ausência nua e crua me faz sentir o ser menos importante do universo, me corrompe. Que fico perplexa com a minha falta de condições para você explorar meus sentidos. Que diversas vezes engoli um "eu te amo" nos momentos mais intimos por medo de cobrar demais e perder o 1% que tenho de você. Que não entendo esse seu não me querer, mas querer. Já me senti burra por guardar esse sentimento vermelho ofuscante dentro de mim. Suas cobranças me embaralham, porque não as devo. Sinto medo de cair em outros braços e seu fantasma me perseguir - isso já aconteceu e foi desastroso. Mas sinto medo maior de outro alguém cair em seus braços e eu me desfazer por completo com uma dor incessante, porque às vezes acho que sou feita deste amor que há dentro de mim - mesmo sabendo que com ele sempre presente não consigo me reconstruir. Esse amor independe de qualquer coisa externa, de físico ou material, ele se mantém de chama acesa, por tudo o que de mais belo foi colocado na sua criação. Coisas simples como o abraço que só você sabe dar. Palpitações extremas (em ambos) que surgem sem qualquer esforço seu/meu. Tudo tão estranho, um amor que é meu/seu, mas não é. Uma razão que teima em queimar, demolir, implodir este sentimento, mas que não encontra forças suficientes. E eu só queria te dizer... melhor deixar para lá. De que adianta dizer? Nada vai preencher mesmo a incógnita que você deixa em mim.

Iê...

27 de mai de 2009

:: Fragmentada ::


Durmo... até meu corpo reclamar do repouso
Acordo... com preguiça
Falo... "pelos cotovelos"
Danço... sem ver ninguém ao redor
Escrevo... como se conversasse com alguém
Leio... como se me alimentasse de palavras
Como.... sem pensar em calorias e colesterol
Brinco... como se não tivesse somado 365 dias tantas vezes nos meus anos vividos
Sorrio... mesmo quando triste
Sonho... como se já tivesse realizado
Canto... só para mim (sorte dos ouvidos alheios!rs)
Ando... de tênis, de salto, descalça, de meias, de chinelo; enfim, dependendo do humor dos meus pés e corpo
Me visto... para elevar meu ânimo
Silencio... para me ouvir
Choro... só para mim
Grito... comigo mesma
Adormeço... em meio a pensamentos borbulhantes
Corro... desenfreadamente (sei lá do quê)
Busco... realização em tudo sempre
Trabalho... até nas horas vagas
Tropeço... nos meus quereres
E nessa confusão toda de mim mesma, vivo. Entre trancos e barrancos. Entre nuvens e estrelas. Entre sorrisos e lágrimas. Entre amores e desamores... Mas vivo. E "viver é sempre a última consequência", mesmo que fragamentada.

Iê...

26 de mai de 2009

:: (música) ::

24 de mai de 2009

:: Silêncio ::

Hoje, só silêncio.
E a lembrança
do toque, do sabor, do cheiro, do suspiro, do olhar.
Amo quando tuas palavras/atos me silenciam
Nuvens, é por lá que fiquei depois que tropecei no sonho e ele tornou-se real - mesmo que por poucos minutos.
Iê...

19 de mai de 2009

:: mais saudade do que cabe em mim ::

Sensação de explosão. Coração saltitante. Pronto! Basta! Vai saudade, sai por ai, vai dar uma volta longa. Cansei da sua presença constante.

Pasme! Que graça tem viver tanto tempo assim em mim?


Iê...
Música: Chega de Saudade - Vinicius e Toquinho

17 de mai de 2009

:: Labirinto ::

Não.
Queria conseguir dizer essa palavra mágica dessa vez.
Porque às vezes a gente perde um tempo precioso dizendo apenas sim's.
Quase sem saída.

Iê...

15 de mai de 2009

:: Viagem de 10 anos ::

Ah, queridos amigos, eu vou. É, vou ficar 10 anos longe de vocês, numa ilha maravilhosa no Pacífico, sem nenhuma notícia ruim como as últimas que vivenciamos, sem Internet, telefone ou celular. Mas voltarei cheia de histórias para contar, pois levarei grande número de CANETAS, de diversas cores, e um CADERNO de 10.000 folhas coloridas com poemas nos rodapés. É, não sei viver longe das cores e das palavras. Na minha bagagem também tem mudas das minhas FLORES preferidas, gerberas, e um ALBUM de FOTOGRAFIAS com cenas da vida real, assim não correrei o risco de esquecer de nada nem de ninguém. Para sempre me sentir quente e acompanhada, mesmo longe de todos, levarei meu EDREDOM ARCO IRIS. É, não quero correr o risco de sentir frio e não ficar aconchegante. Assim, aproveitarei momentos, quietinha num canto, encolhida como se tivesse abraçando minhas lembranças, meus amores, meus sentimentos e a profunda saudade de vocês... e de todos os meus apetrechos eletrônicos. Socorro, eu descobri que é difícil me desfazer do meu celular, do meu Ipod, do meu note, dos meus livros. Que materialismo exuberante!! rs Mas vou encarar e ser feliz com apenas 5 coisas na minha bagagem, podem ter certeza.

Iê...

Texto escrito para o Tertúlia Virtual de 15 de Maio. O TEMA deste mês é:" Você irá passar 10 anos numa pequena ilha deserta no Pacífico, e só poderá levar cinco coisas.Quais seriam? ".A postagem pode apenas nomear as cinco coisas ( pessoas inclusive), ou cinco imagens das coisas, ou ambos! Pensem bem, serão 10 anos. A ilha é deserta. Não tem energia elétrica, não recebe sinal de telemóvel ( celular ), TV, ou internet! Participem!
Obs.: Leiam também - minha outra vida - Andanças de um All Star Vermelho

14 de mai de 2009

:: Dançar é... :

Dançar é ...
extravasar todos os negativismos, tristezas, poluições mentais, estresses e neuras pelos poros
Encher-se de adrenalina pura e vida
flutuar no céu
rodopiar no ar
brilhar com as estrelas.
Iê...
Ah!!!! Leiam Andanças de um All Star Vermelho: lá tem aventura, por Iêda Santos e Cultura Urgente, por Amanda Proetti!!!

12 de mai de 2009

"Ela fala por nós..."

Um texto da Marla de Queiroz (que tanto amo ler e reler). Uma blogueira/escritora que fala pelas pessoas que a leem...
O medo do Amor
Eu não tenho medo do amor.Eu tenho medo é de amar quem tem medo dele.Amar quem teme o amor é como se apaixonar por uma sucessão de desistências. É como viver apenas a possibilidade de algo, mas com a sensação de que ela nunca se estabelecerá.É ficar intranquilo não com o amanhã, mas com os próximos minutos. Quem teme o amor vai embora antes de fazer as pazes com ele.Antes de saber que surpresas ele reservava. Quem teme o amor teme caminhar de mãos vazias em direção ao desconhecido.Está sempre baseado numa repetição do passado.E acha que a vida será como todos aqueles dias idos.Quem teme o amor não vê a pessoa que conheceu, não se dá a oportunidade de ser amado de outra forma.Quem teme o amor se envolve é com o drama de todas as feridas que vieram à tona porque ele não se permitiu ficar sozinho e confuso o suficiente para curá-las.Quem teme o amor não aprendeu a pedir ajuda nem a receber a cura do Universo.Ele se acha maior que o amor e não conjuga o verbo.Quem teme o amor consegue ser mais perverso do que quem o magoou.
Quem tem medo do amor , pra se preservar, não se permite delirar lindamente....e perde a parcela mais deliciosa que o amor prometeu....por medo de amar. (Marla de Queiroz)
obs.: Também odeio escrever leem sem circunflexo; intranquilo sem trema... e por ai vai!!

10 de mai de 2009

:: Apesar de... o mundo não para ::

O Sol escureceu - isso não me parecia possível, mas foi...
Você me conhece até nas minhas mais recônditas características, vivenciou meu ser completo, sem faltar nenhuma sensibilidade, afeto, ternura, índole, caráter. Mas, sabe, nesse tempo, eu mudei sem mudar. Mudei a forma de fazer as coisas. Sei ser eu sem você. Apesar de vazia de certa forma. Aprendi a cuidar só de mim e ver seus defeitos - isso é tão ruim quanto ver filme de terror . Decepção destrói um pouco a gente, meu Amor!
Eu precisava te contar tanta coisa, mas às vezes não quero, não sei se devo. Você ainda faz parte de mim. É indestrutível no meu ser, o sentimento continua ali. E às vezes odeio essa minha parte.
Hoje! Eu lembrei. É, eu lembrei. E não doeu, pode acreditar. As lágrimas chegaram a transbordar meus olhos, mas não cairam. Voltaram. Não era dor, era saudade. E saudade não se brinda com lágrimas!
Eu me senti diferente, mas igual. Diferente porque tem dias que odeio essa saudade, mesmo existindo nela muitas cores e o meu vermelho favorito de contraste. Lindo. Igual porque quero me fazer bem, fazer minhas escolhas da mesma forma sonhadora que sempre existiu em mim, mesmo que não possa, há tempos, colocar a palavra "Nós" nisso.
Hoje vi que faz tempo que parei um dos meus mundos e procurei o motivo pelo qual não lutei para continuar a fazê-lo girar. É como se eu tivesse congelado o tempo. Talvez porque você ainda estava ali (mas não estava!). Ou porque eu ainda tinha você (e não tinha!). Ai, veio um pensamento lá do fundinho do meu ser - aperta o PLAY novamente e esquece esse PAUSE dado, pois, mesmo com ele, o tempo não para de correr. E já que não para, meu Amor, deixa eu ver quem me espera lá na frente! Pois existem coisas que a gente precisa fugir mesmo querendo ficar.
Iê...
"A gente não percebe o amor que se perde aos poucos sem virar carinho. Guardar lá dentro o amor não impede que ele empedre, mesmo crendo-se infinito. Tornar o amor real é expulsá-lo de você para que ele possa ser de alguém..." (Nando Reis)
PS.: Odeio escrever pára de parar sem acento!

8 de mai de 2009

:: ? ::

Por que? Por que? Por que???
Tem dias que amanheço com tantos "por que's" sem respostas.
O ponto de interrogação é gigantesco ...
Iê...

7 de mai de 2009

:: beijo de assaltante ::

Vi no twitter de um amigo a seguinte frase seguida de um link: "Mulher é um bicho lindo, coloca o coração em tudo o que faz".... Minha cuiriosidade chegou aqui (ou vejam abaixo). Só falta virar moda!!! Onde vamos parar? haha


Iê...

5 de mai de 2009

:: Memórias de um Bloquinho ::

Bem, eu tenho vários bloquinhos (desses que todo jornalista tem!rs) com anotações diversas e diferenciadas, acho que anoto mais coisas nele que em minhas agendas... Eles estão sempre ao meu lado, grudados em mim onde quer que eu esteja. Achei uns antigos numa caixa e fui fuçar para ver o que tinha escrito... tinha coisas diversas: horário de médico, data para preparar provas, para entregar notas, para fechar jornal, lembretes para ligar para alguém, estrelinhas e coraçõeszinhos desenhados, frases soltas (minhas) que agora não tem sentido algum (até porque a maioria não lembro o motivo!), frases lidas em livros e anotadas ali, enfim a variedade é imensa. Resolvi colocar algumas aqui, já que estou naqueles dias nada criativos, sem inspiração alguma! Lá vai (não vai rir, hein!!!):


google imagens

Acreditei em você sem saber que tudo era cenário, coreografia e texto ensaiados. Aplausos! (este usei em um post antigo já!!)

Acordei como se algo ruim fosse acontecer. E não é que aconteceu! Parece que a "faca" (palavras) ainda está cravada no peito.

O dia está fosco e triste por fora e pelos acontecimentos de maior importância, mas tenho em mim uma alegria transbordante e está difícil de não mostrar a todos. Parece egoismo! Isso assusta.

"Até tu Brutus?" (Pra quem?)

A maior tristeza que aconteceu esse ano me fez um bem danado! Eu evolui, acredita? Mesmo assim, ainda dói! Eita coisinha insistente! Por quê???? Como????

Um dia tudo está organizado como você planejou... no outro dia vem o tal do acaso e te atropela! (esse tem um texto seguido que depois vou revisar e fazer um post!)

E não é que foi supimpa este treco! Eu me joguei numa "linha" sobre um lago. Uau!! Eu adoro me sentir voando! Fiz duas vezes e queria mais. (esta eu lembro - foi quando fiz Tirolesa na Estação Atibaia - uma boa idéia para um post no Andanças...)

Bem, é isso. As demais frases são meio jogadas, mais sem sentido que as acima; até fiquei com um ponto de interrogação saltitando aqui! rs

Iê...

obs.: E olha o que achei no Google!! Um bloco de notas ecologicamente correto:

4 de mai de 2009

:: Andanças na ativa ::

Minha outra Vida, outro blog - Andanças de um All Star Vermelho -, começou a andar hoje, depois de só engatinhar desde janeiro. Em busca de cultura, diversão e aventura. Você encontrará passeios, viagens, novos pontos de encontro de diversas tribos, museus, exposições... Tudo por onde pode passar alguém de all star vermelho. Leiam também!!


Passa
Anda
Caminha
Dirige
Pedala
Corre
Deixa rastros
Traz lembranças
Dá notícias
Mostra o belo
o interessante
o cultural
o engraçado
Vê com os olhosde um andante
interessado em contar
o que observa ou
o que lhe contam
Andanças de um All Star Vermelho
Em busca de Cultura, Diversão e Aventura

Iê...

3 de mai de 2009

:: Que livro você é? ::

Se você fosse um livro (NACIONAL!), qual você seria?

Vi este teste num blog que entrei por curiosidade (gostei do nome) - Canetas Coloridas -, que viu em outro blog - Vem Ni Mim Lili Demorada. Depois vi postado também no blog da Ana.... Fiz e resolvi postar o meu resultado aqui. O meu deu empate em 3 livros!!! Gostei, um da Clarice Lispector, que simplesmente amo, um do Carlos Drummond, nem preciso dizer que adoro, e um do Paulo Coelho, que nunca li por puro preconceito, confesso! Façam e depois me contem o resultado! Cliquem para fazer o teste AQUI !
Meus resultados abaixo:

foto reprodução


Iê...

obs.: Coloquei os selos que ganhei no último mês num slide na barra ao lado junto com os anteriores. Amei todos. Neste findi ganhei um da Andréia e outro da Nade. Muitíssimo obrigada! Estão abaixo e ofereço a todos os meus seguidores, aos blogs listados como meus preferidos e aos que sigo também.

1 de mai de 2009

:: (A)braços ::

google imagens /crateradalua- Ana

Há dias em que me abro em sorrisos faiscantes:
- dias em que num impulso gigantesco você se lembra de me abraçar com sentimento
Ah! Quero viver nestes (A)braços.

Iê...