25 de set de 2008

História de amor... parte II

Os dias seguintes foram perturbadores. Ela tinha compromissos, responsabilidades e não podia fazer o que queria. Fugir do seu mundo. Contemplava o nada sempre que podia. Fez tudo o que precisava com uma máscara de sorriso grudada ao seu rosto. Alguns não perceberam que o sorriso vinha diferente. Apenas sua boca sorria no automático, mas seu coração e olhos não mais. Outros queriam dar opiniões diversas. E ela se afastou de todos eles. Criou o seu mundo. Um mundo vazio, mascarado por alegrias falsas. Fez-se solitária. Mas tinha que seguir as convenções da vida. Trocaram alguns e-mails meio sem sentido. Ela não sabia o que pensar sobre a situação. Escrevia com o coração apenas. Um coração estraçalhado que só sabia sentir a enorme falta que ele fazia. O que sua razão não queria permitir. A razão queria sentir ódio, mas não vencia a guerra contra o coração e nem contra o corpo dela que o pedia insistentemente sem saber o porquê de tanta falta. Ela só queria voltar a ser como antes daquele primeiro e-mail de elogio. Feliz, uma felicidade incompleta, mas feliz com sua falta de pretensões em relacionamentos. Quis morrer. Morrer, não matar-se. Sabia que não podia ser fraca assim. Ela queria reagir, mas era difícil inicialmente.
Um bom tempo depois, mas nem tanto tempo assim, o que parecia um ano para ela, ele foi ao seu encontro. Abraçaram-se. Um abraço meio fúnebre. Estranho. Ele tinha os lábios secos, não sorria, não estava triste, mas tinha um ar desesperador. Ela quis não estar ali por um momento. Mas morreria feliz no aconchego daquele abraço, nunca mais sentiria dor em seu coração. A dor da falta. Trocaram palavras que no fim ficaram sem sentido. Ela ficou sem palavras. Ele também. Despediram-se. Outro abraço. Ele se foi. Ela andou alguns metros. O barulho ensurdecedor do lugar em que estavam deixou um silêncio oco em sua cabeça. Ficou ali por um bom tempo, contemplando o nada.
Mas foi ai que ela mudou..
Iê...

Texto escrito por Iêda Santos em julho/2007

7 comentários:

Marcos Forte disse...

Olha, estou sem palavras... sou apaixonado por histórias assim.

Dá para sentir cada palavra... lindo demais...

Parabéns...

Marcos

AdeBatista disse...

Lindo... e descobri agora que tu também tem um blog, oras... hehehe
Vlw por colocar o endereço do meu na sua página...

Bjs

Montanha disse...

Muito bom...Contemplar o silêncio não é fácil.

Belo texto e que este seja o primeiro de uma série.

Montanha

Rogério Castilho disse...

Por e-mail, por scrap, com açúcar, com afeto...

Beijo e tchau!

Iêda disse...

Obrigada pelos comentários!!Durante a semana tem mais posts.
Beijões

Por Ricardo Cazarino disse...

...a pedidos....meu espaço ganhou novo post...Esse pessoal que fica me cobrando viu...vou te contar!!!rss
Bjs

Iêda disse...

Ah, Ricardo! Viu como funciona cobrar!! rs Vou lá correndo para ler! Bjo